Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Couro e Cabelo

Luta contra a alopécia: partilha de experiências e informações.

Couro e Cabelo

Luta contra a alopécia: partilha de experiências e informações.

Ciclo de vida do cabelo

título.png

 

É muito importante entender o ciclo de crescimento do cabelo para reconhecer e entender muitos dos problemas que você pode encontrar no seu cabelo.
Todos os dias, perdemos entre 50 e 80 cabelos que duram, em média, entre 2 e 7 anos. O cabelo nasce no folículo piloso, cresce por entre ciclos sucessivos, até cair.

 

O ciclo de vida do cabelo é constituído por três fases: anagénica, catagénica e telogénica.
 

Fase anagénica
É a fase de crescimento do cabelo. Esta fase dura em média de 3 a 5 anos (em casos extremos pode durar 1 ano ou 7 anos) e cresce cerca de 1 cm por mês (cresce ligeira mente mais no verão do que no inverno).

Fase catagénica
No final da fase anagénica, o cabelo entra na fase catágénica. Uma fase de transição curta que dura aproximadamente 2 a 3 semanas. O folículo retrais-se à superfície do couro cabeludo.

Fase telogénica
Por fim, o seu cabelo entra na fase telogénica, uma fase de repouso em que o cabelo não cresce mais, mas permanece agarrado ao folículo durante cerca de 3 meses. No final desses 3 meses o cabelo é solto e cai.
Inicia-se uma nova fase anagénica.

 

Queda de cabelo após a gravidez

Imagem.png

 

Fui mãe do meu 2ª filho. Eu que tenho Alopecia Androgenética, durante a gravidez passei por um período "abençoado". Mais cabelo, com mais corpo, brilhante,... mas infelizmente foi "sol de pouca dura".
Aproximadamente 3 meses depois do parto, o meu cabelo começou a cair...
 

A queda de cabelo é comum após a gravidez e pode ser muito angustiante. Normalmente ocorre entre 3 meses e 6 meses e pode durar mais 6 meses. O termo médico é “eflúvio telógeno pós-parto”. Pesquisas atuais culpam a diminuição de hormonas, especialmente o estrogênio, após o parto, causam a queda de cabelo. Esta queda não está relacionada com a amamentação.

 

 

Por que a perda de cabelo ocorre após a gravidez?
Para entender por que a perda de cabelo ocorre após o parto, é importante entender como o cabelo cresce normalmente e as mudanças que ocorrem durante a gravidez:
 
 
Antes da gravidez
Cerca de 85-90% dos cabelos estão em fase de crescimento: ativo. Estes fios em crescimento aumentam de tamanho em 1 cm por mês.
Cerca de 10-15% dos cabelos no couro cabeludo na fase de descanso: inativo. Esses fios estão se preparando para a queda natural.
Para a maioria das mulheres, isso significa que existem cerca de 100.000 fios de cabelo no couro cabeludo e, que, diariamente entre 50 a 100 fios de cabelo caiem naturalmente.
 
 
Durante a gravidez
Devido ao aumento dos níveis de estrogénio, cada vez menos cabelos caiem do couro cabeludo a cada dia que passa. Mais cabelos se acumulam na fase de crescimento ativo.
Isso significa que o número total de cabelos no couro cabeludo na verdade aumenta durante a gravidez. A contagem de cabelos pode subir de 100.000 para 110.000 cabelos. O resultado é um cabelo mais espesso e mais denso. 
 
 
Depois do parto
Uma diminuição hormonal, especialmente estrogénio e progesterona, faz com que o equilíbrio entre o crescimento e a queda de cabelos seja novamente interrompido em um esforço para retornar aos padrões pré-gravidez.
Mais e mais fios de cabelo passam da fase de crescimento para a fase de queda. O resultado é o aumento da queda de cabelo - geralmente em todo o couro cabeludo.
Este fenómeno ocorre tipicamente em torno de 3-4 meses após o parto.
O crescimento total do cabelo deve ocorrer por 12 meses. Uma pequena proporção de mulheres notará que a densidade do cabelo permanece menor do que antes da gravidez.
 
 
O que acontece nesta fase do pós parto é apenas um reajuste hormonal e a queda de cabelo é um fenômeno completamente normal, e não há tratamento ou cura para a queda de cabelo pós-parto. 
Deverá falar com o seu Médico de Família ou Ginecologista sobre o assunto e por precaução, muitos profissionais pedem exames de sangue para verificar se os níveis de ferro e tiróide estão normais.
Ao contrário do que muitas vezes se pensa, a amamentação não está diretamente relacionada com este tipo de queda de cabelo.

Muito raramente, a queda de cabelo pode se estender para 15 meses. Se a queda de cabelo não parar, deve procurar ajuda de um médico Dermatologista - Tricologista pode estar com outra causa para a queda de cabelo: Alopecia.

Não se auto-medique, se tem alguma preocupação, dúvida, insegurança, fale com o seu médico.

A queda de cabelo durante a gravidez NÃO é normal. Deve procurar orientação médica.

Se foi mãe recentemente, MUITOS PARABÉNS! 

Champô com ou sem SAL?

Desde que optei por ter mais cuidado com o couro cabeludo e cabelo que decidi investir em produtos sem sal (nome científico Cloreto de Sódio - NaCl), normalmente aparece nos rótulos dos produtos como Sodium Chloride.

 

 

Sabemos que o cloreto de sódio, popularmente conhecido como sal ou sal de cozinha, é essencial para a sobrevivência dos seres vivos pois regula a quantidade de água no organismo e é também um importante conservante de alimentos e um popular tempero.

 
 

 

 

O aumento excessivo de sal causa risco de problemas de saúde como a hipertensão arterial... Mas acho que ninguém está a pensar em beber o champô... 😏



E nos produtos de higiene e beleza?

Nos produtos de higiene e beleza o Sal (cloreto de sódio) é um espessante que torna o produto mais viscoso e a espuma mais densa. 
No caso do Champô SEM SAL o cloreto de sódio é substituído por por polímeros sintéticos: PVP, PEG 5 e 14M, Carmomers e as Alcanolamidas de Ácido Graxo de Coco.

Quase precisamos de ter um curso superior em Química cada vez que vamos comprar um produto tão essencial como o Champô... 😖

Por todo o lado se vê publicidade de champôs sem sal!



Mas afinal o cloreto de sódio (sal) faz mal ou não ao cabelo?
 

Depois de muitas pesquisas e de alguma leitura de vários artigos, uns mais científicos do que outros, concluí que o cloreto de sódio em baixa concentração não interfere na manutenção nem de cabelos quimicamente tratados nem de cabelos virgens, uma vez que se dissolve totalmente em água e não se liga à estrutura dos fios.

De onde terá surgido a teoria de que o sal estraga os cabelos? Da água do mar? Mas é incomparável a quantidade de sal que fica no cabelo quando mergulhamos no mar, com a quantidade de sal que existe num champô... Sem contar que na praia, ficarmos muito tempo com aquela quantidade de sal nos fios de cabelo, o sol, o vento, a areia, e a própria poluição da água do mar. 

A questão que surge relaciona-se, portanto, com a concentração de sal que pode estar em determinado champô. No mesmo estudo refere ainda que se um champô tivesse em grandes concentrações viria a destabilizar produto e, como tal, a sua concentração terá de ser obrigatoriamente diminuta.
Reforça ainda que os champôs ditos “sem sal” apresentam melhores resultados, uma vez que são usados diferentes princípios ativos e que a ausência do sal por si só não melhora o produto.

Um outro estudo refere ainda que o fio virgem exposto ao châmpo “com sal” não sofre alteração na estrutura da haste, mas admite que o fio com coloração apresenta alterações (descamação e fissuras), mas que não é o suficiente para afirmar perentoriamente que o cloreto de sódio faz mal ao cabelo e adverte também que os resultados estão dependentes dos compostos usados em shampoos “com sal” e “sem sal”, excluindo claro o próprio cloreto de sódio. Isto é, são os outros ingredientes que podem fazer a diferença.



Com esta pesquisa também concluí que se o champô faz espuma é porque tem Sal, quanto mais espuma fizer, mais sal ele tem. Ou seja, nenhum será isento de sal.
Na verdade, o cloreto de sódio nos champôs, é proveniente de uma reação química de tensoativos como o lauril sulfato de sódio ou o lauril éter sulfato de sódio. Logo, ele é um produto secundário. Portanto, se na embalagem disser que não contém sal, mas contém os tensoativos (nomes terminados em "de sódio"), o sal estará presente no produto, apenas surge nos ingredientes com outro nome, como por exemplo Acetato de sódio, Citrato de sódio, Carbonato de sódio, Cloreto de sódio, Cianeto de sódio, Nitrato de sódio, Nitrito de sódio, Fosfato de sódio, Sulfato de sódio, Sulfeto de sódio
Pois é... todos estes são classificados como sais.
 

Mesmo que os champôs contenham sal, ninguém tem com o que se preocupar, porque a quantidade é tão mínima (0,2 a 0,6%) que não é prejudicial para os cabelos.
E se que a quantidade de sal fosse alta, o tempo que estamos com o champô em contacto com o couro cabeludo e fios é tão curto que basta enxaguar no final com água doce que todo o sal é removido sem causar danos.
 
O que realmente é importante no momento em que escolhe o seu champô é o pH, os ingredientes para hidratação, nutrição ou restauração, como extratos, óleos e aminoácidos, etc.. Estes sim, são os elementos que fazem a diferença entre um bom champô de um mau champô.


Qual a sua opinião? Leu pesquisas que referem o contrário?
Partilhe as suas pesquisas para que juntas se torne mais fácil esta luta pela saúde do nosso Couro e Cabelo.


Bibliografia usada:
http://siaibib01.univali.br/pdf/Rubia%20Caleffi%20e%20Thais%20Rodrigues%20Heidemann.pdf
http://siaibib01.univali.br/pdf/Giulia%20Zanatta%20e%20Thamires%20Onofre.pdf


Aviso: Todas as publicações no Couro e Cabelo são apenas partilhas de experiências e informações. Qualquer tratamento deve sempre ser prescrito e acompanhado por um médico.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Siguir-me

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub