Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Couro e Cabelo

Luta contra a alopécia: partilha de experiências e informações.

Couro e Cabelo

Luta contra a alopécia: partilha de experiências e informações.

Alopecia androgenética: O que é?

O que é.png

 

 

A Alopecia Androgenética é, provavelmente, a forma mais comum de perda de cabelo em pacientes do sexo masculino. Apesar de também atingir mulheres de uma forma menos característica, a prevalência no sexo feminino é menor, e o diagnóstico, mais difícil.




Mas afinal o que é a Alopecia Androgenética?



Em algumas partes do corpo (nos homens: a próstata, testículos, glândulas supra-renais e folículos capilares; nas mulheres: as glândulas supra-renais e folículos capilares), uma enzima chamada 5α-redutase transforma a testosterona numa versão bem mais forte: o hormona di-hidrotestosterona (DHT).

No couro cabeludo, o DHT provoca a miniaturização folicular: no ciclo de vida do cabelo, em cada ciclo que se inicia os folículos capilares vão diminuindo de tamanho, tornando o fio de cabelo cada vez mais fino. A fase de crescimento do cabelo (anagénica) fica cada vez mais curta, as fases de descanso (catagénica e telogénica) prolongam-se. Uma vez que a duração da fase anágenica é o que influencia o comprimento do cabelo, o comprimento máximo do novo pelo em fase anágenica é menor do que o pela anterior. Eventualmente, a fase anágenica é tão curta que o pelo acaba por nem alcançar a superfície da pele, e o único sinal da presença do folículo é um poro e os fios podendo parar de nascer por completo.

 

Explicação mais pormenorizada:

Os dois androgénios predominantes naturais são a testosterona e a Di-Hidrotestosterona (DHT).
A testosterona é convertida em DHT pela enzima5α-redutase, que é composta por duas isoenzimas:tipo I e tipo II, ambas encontradas no couro cabeludo.
A ação biológica da DHT nos receptores andrógenos é mais potente que a da testosterona.O recetor de androgénio é necessário para o desenvolvimento de caracteres masculinos e, durante avida adulta, age no funcionamento de órgãos como o sistema reprodutor, testículos, músculos, fígado,pele, sistema nervoso e sistema imune.
O recetor de andrógeno tem um papel em várias doenças e traços hereditários, incluindo câncer de próstata.
O envolvimento dos andrógenos na Alopecia Androgenética é evidente:

  • Eunucos, sem androgénios, não desenvolvem Alopecia Androgenética, e indivíduos sem receptor de androgénio desenvolvem-se como mulheres, sem apresentar Alopecia.
  • De maneira similar, nenhuma Alopecia é vista no pseudo-hermafroditismo com ausência da 5α-redutase.
Outro achado importante é o aumento da concentração de DHT, 5α-redutase e recetor de andrógeno nas áreas do couro cabeludo com Alopecia Androgenética masculina. O mecanismo exato por meio do qual o androgénio age parece estar relacionado à expressão dos genes que controlam os ciclos foliculares.
 

Lavar cabelo: água


No dia Mundial da Água o tema não podia ser outro...

 

No duche ou não, lavar o cabelo é natural e fazemos sem pensar muito como o fazemos. No entanto, devemos ter alguns cuidados no processo de lavar o couro cabeludo e cabelo, conforme já foi abordado numa publicação anterior (Lavar o cabelo: saiba como...).


E a água?
A água que usamos para enxaguar o couro cabeludo e cabelo tem como função ajudar o champô a fazer espuma e espalhar-se no couro cabeludo. É água que ajuda a dissolver a sujidade, poeiras e excesso de oleosidade que se acumulam no couro cabeludo e cabelos.
 
Em algumas condições a água pode prejudicar a saúde e beleza do couro cabeludo e cabelo. 
 

A temperatura da água por exemplo: se estiver muito quente causa irritação e até lesões no couro cabeludo e abre a cutícula capilar; se estiver muito fria não consegue dissolver os óleos que se encontram em estado ceroso (semi-sólido) dificultando ou mesmo impossibilitando a limpeza do couro cabeludo e cabelo.

 

A composição da água é outro exemplo: alguns componentes químicos existentes em algumas águas interferem na saúde e beleza dos cabelos como é o caso do calcário, cloro entre outros minerais. Alguns destes minerais, como é o caso do cálcio e o magnésio, reagem com os surfactantes causando resíduos que podem formar uma camada escamosa sobre o couro cabeludo e cabelos, obstruindo os poros deixando o cabelo ressequido; ou o cloro que reage com algumas colorações e madeixas.

Fonte: Mundo da Educação - Água Dura


Para evitar resultados desastrosos no que toca à beleza do seu cabelo ou lesões no couro cabeludo, deve ter atenção à qualidade da água que usa para limpar o couro cabeludo e cabelo:
 
O ideal é iniciar a lavagem com a temperatura da água próxima da temperatura do corpo (aproximadamente 38ºC não ultrapassando os 40ºC) por forma a facilitar a remoção dos óleos, poeiras e outras partículas de sujidade e finalizar o enxaguamento com água um pouco mais fria para ajudar a fechar a cutícula capilar.
 

Se a água da sua casa for muito mineralizada (água muito dura) pode terminar o enxaguamento dos cabelos com água engarrafada ou, adicionar anti-calcário natural como o sumo de limão ou, adquirir um chuveiro com filtro de calcário.

Pág. 1/3

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Siguir-me

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D